Skip to content

Carta convite para viajar para Europa

Carta convite para ir para Europa

A carta convite para viajar para a Europa, depois do visto, é um dos requisitos sobre os quais existe muita confusão quando se planeja visitar o velho continente. Em primeiro lugar, é importante esclarecer que, por si só, o que pode ser solicitado para o visto ou para entrar no território Schengen é ter uma prova de onde vai ficar. Tal prova e dependendo do motivo da viagem ou da duração da mesma, aceita diferentes opções, por exemplo, uma reserva de hotel confirmada ou um contrato de aluguel ao viajar para estudar, entre outros.

Caso seja um amigo ou familiar que oferece a hospedagem, essa pessoa deverá adiantar certos procedimentos para conseguir a carta convite e enviar o documento o quanto antes. Apesar dos acordos de sucesso na União Europeia e que os requisitos de entrada são praticamente os mesmos em todo o território, em cada país o processo da carta convite tem variações, em alguns é tão simples, como fazer o documento sozinho, seguindo um formato sem nenhum custo, e em outros é necessário realizar a solicitação da carta perante a um órgão oficial e pagar as respectivas taxas. Vejamos:

Espanha

A carta convite para Espanha é solicitada na delegacia de polícia do lugar onde reside seu amigo ou familiar, para tê-la é preciso apresentar documentos comprovativos da casa, cópia do documento de identidade e alguns dados do hóspede, custa aproximadamente 80 euros. Dependendo da cidade e da época do ano em que é solicitada, pode demorar cerca de 20 dias úteis.

França

A carta convite para França, conhecida como “attestation d’accueil”, deve ser efetuada na prefeitura de onde reside (mairie), a lista dos requisitos para consegui-la é maior que a da Espanha, mas seu valor é menor, custa cerca de 30 euros.

Um fato que muitos desconhecem é que, já faz algum tempo, se você entrar na França, o requisito da reserva em hotel não é necessário, caso você puder justificar a quantidade de 120 euros por dia de estadia.

Itália

A carta convite para viajar para a Itália,“Lettera d’Invito”, apresenta menos dificuldades do que na Espanha ou na França. O documento em questão pode ser feito diretamente pelo dono da casa de acordo com algum formato já estabelecido, onde é indicado que o hóspede estará sob sua responsabilidade de alguma maneira. De acordo com as leis italianas, o anfitrião deve notificar às autoridades sobre a chegada do estrangeiro durante as próximas 48 horas.

Alemanha

A carta convite para Alemanha, como a da Itália, ela pode ser feita pelo anfitrião e não é necessário levá-la a nenhum órgão oficial. Sendo assim, o documento deve conter os dados de identificação do dono da casa e do hóspede, o endereço, datas da estadia, o parentesco e o motivo da viagem. Além disso, é preciso anexar uma cópia do documento de identidade do anfitrião.

Por outro lado, se você desejar dar um suporte financeiro ao convidado, você deve elaborar um documento de garantia chamado “Verpflichtungserklärung”. O formulário para esse convite menos informal pode ser solicitado no escritório de imigração (Ausländerbehörde) de onde você reside, seu custo é de aproximadamente 25 euros.

Portugal

A carta convite para viajar para Portugal, “carta convite”, é preciso fazê-la perante a um notário. Se você assume a responsabilidade financeira dos gastos, é preciso preencher um formulário de responsabilidade, “Termo de Responsabilidade” carimbado pelo SEF, “Serviço de estrangeiros e fronteiras”.

Países Baixos

A carta convite para Países Baixos, “particuliere logiesverstrekking”, é feita na prefeitura holandesa que corresponde ao lugar de residência, uma taxa é cobrada para a certificação da assinatura (15 euros). E se, além disso, o anfitrião se responsabiliza pelos gastos do seu hóspede nos Países Baixos, deverá anexar um formulário de patrocínio, “Bewijs van garantstelling”.

Bélgica

A carta convite para viajar para a Bélgica, não é um documento oficial, ela pode ser elaborada pelo anfitrião mesmo, preenchendo todos seus dados, bem como os dados do convidado, identificando ainda, a relação que existe entre eles, o motivo da visita, o endereço completo e informações para contato. No caso de querer ajudar economicamente durante a estadia do hóspede, é preciso elaborar um documento mais oficial, o
“engagement de prise en charge”, “Verplichttungserklärung”, “formal obligation”; ante la “administration communale”

A carta convite para Europa é um requisito indispensável

República Tcheca

A carta convite para a República Tcheca, “Pozvání”, é elaborada oficialmente perante a polícia de imigração, onde é solicitado o formulário e feito o pagamento das taxas correspondentes (cerca de 12 euros), nesse documento o anfitrião poderá se certificar que é encarregado pelos gastos da viagem do seu convidado. O processo leva 7 dias úteis. Durante os 3 primeiros dias da chegada do estrangeiro ao país, a Política de Imigração deve ser informada.

Suíça

Para a elaboração de uma carta convite para a Suíça, um formulário pode ser baixado no site da missão diplomática do país de residência, ou solicitá-la diretamente ali mesmo, é preciso ser assinado pelo anfitrião junto com uma cópia da sua identidade.

A carta convite é conhecida por diferentes maneiras, dependendo do idioma ou se nela houver um compromisso de responsabilidade pelas despesas.

Noruega

O formato de carta convite ou “Garantiskjema for besøk” para viajar para a Noruega pode ser solicitado à polícia e deve ser carimbado por eles e assinado em frente a um funcionário.

Ao contrário de outros países, um formulário deve ser preenchido para cada convidado. Nesse mesmo documento pode-se registrar que o hospedeiro será o fiador das despesas, neste caso, além do passaporte, documentos devem ser apresentados comprovando que o expedidor possui meios suficientes

Deve-se levar em conta:

  • Para ter um visto ou para entrar na Europa, geralmente exigem a carta convite original.
  • Embora haja um acordo no território Schengen e os requisitos de entrada sejam os mesmos, em alguns países os controles são menos rigorosos, por exemplo, dizem que para entrar pela Alemanha não é nada comum, que é pedido aos estrangeiros a prova da acomodação. Entretanto, se o destino é Alemanha, mas se você entra por outros países como a Espanha, é melhor ter a carta convite para evitar imprevistos, uma vez que o controle de entrada na Europa é feito no país através do qual a entrada no território é feita.
  • É muito importante ter uma cópia da identidade junto com a carta convite da pessoa que concedeu a hospedagem e, em alguns casos, documentos que comprovam a relação entre anfitrião e hóspede.
  • A carta convite deve ser redigida no idioma do país para onde você está viajando ou se for para solicitar o visto, pode ser elaborada no idioma do país onde o pedido será apresentado.
  • Em alguns países, a quantia de dinheiro que deve ser mostrada por dia de estadia, pode ser diminuída se houver uma carta convite ou um documento certificando que o anfitrião assume os gastos do hóspede. Consulte com a respectiva missão consular.
  • Quando o anfitrião assume a responsabilidade das despesas do hóspede, ele deve provar sua solvência financeira ao órgão correspondente.
  • A carta convite ou prova de estadia é apenas um dos requisitos dos quais devem estar disponíveis para entrar no território Schengen, além disso, deve ter justificativas de solvência financeira, passagem de volta ao país de origem (cote o melhor preço aqui), seguro viagem com cobertura em todo o território Schengen, entre outros. Atualmente e clicando nesse link, você pode comprar um seguro que está de acordo com a normativa, normalmente oferecem descontos de até 50%, a partir de 39 euros por 30 dias ou 94 euros por 3 meses.
  • A carta convite, elaborada oficialmente ou não, compromete o anfitrião, pois só deve ser feita para pessoas de confiança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Content is protected !!